blog

A adoção de uma alimentação saudável previne o surgimento de doenças crônicas e melhora a qualidade de vida. Frutas, verduras, legumes e cereais integrais contêm vitaminas, fibras e outros compostos, que auxiliam as defesas naturais do corpo e devem ser ingeridos com frequência. Os bons hábitos alimentares funcionam como fator protetor se forem adotados ao longo da vida.

Veja a seguir algumas recomendações para que se tenha uma alimentação saudável:

 

  • Coma feijão com arroz todos os dias ou, pelo menos, cinco vezes por semana. Esse prato brasileiro é uma combinação completa de proteínas e faz bem à saúde.

 

  • Consuma diariamente três porções de leite e derivados e uma porção de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis.

 

  • Consuma, no máximo, uma porção por dia de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina.

 

  • Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas e outras guloseimas como regra da alimentação.

 

  • Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa.

 

  • Beba pelo menos dois litros (seis a oito copos) de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.

 

  • Torne sua vida mais saudável. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias e evite as bebidas alcoólicas e o fumo.

 

  • Faça pelo menos três refeições (café-da-manhã, almoço e jantar) e 2 lanches saudáveis por dia. Não pule as refeições.

 

  • Inclua diariamente seis porções do grupo dos cereais (arroz, milho, trigo, pães e massas), tubérculos como as batatas e raízes como a mandioca nas refeições. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos em sua forma mais natural.

 

  • Coma diariamente pelo menos três porções de legumes e verduras como parte das refeições e três porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.

 

 

Saiba mais sobre os hábitos alimentares, clicando aqui.

 

Para informações sobre exames, entre em contato.

A tuberculose é uma doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria (Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch (BK)) que afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).

 

SINTOMAS

 

O principal sintoma da tuberculose é a tosse na forma seca ou produtiva. Por isso, recomenda-se que seja investigado caso a tosse permaneça por três semanas ou mais.

Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço/fadiga. A forma extrapulmonar ocorre mais comumente em pessoas que vivem com o HIV devido ao comprometimento imunológico.

 

DIAGNÓSTICO

 

O diagnóstico da tuberculose é feito através da história clínica do paciente, da radiografia de tórax e do exame de escarro. Este último é o exame que identifica a presença do Bacilo de Koch.

 

TRANSMISSÃO

 

A transmissão da tuberculose é direta, de pessoa a pessoa, portanto, a aglomeração de pessoas é o principal fator de transmissão. A infecção ocorre a partir da inalação de gotículas contendo bacilos expelidos pela tosse, fala ou espirro do doente com tuberculose.

Má alimentação, falta de higiene, tabagismo, alcoolismo ou qualquer outro fator que gere baixa resistência orgânica, também favorece o estabelecimento da tuberculose.

 

PREVENÇÃO

 

A principal maneira de prevenir a tuberculose em crianças é com a vacina BCG. É administrada quando criança e serve para prevenir as formas mais graves da doença, como a tuberculose disseminada e a meningite tuberculosa.

Outra forma de prevenção é evitar o contato por tempo prolongado com pacientes diagnosticados com tuberculose em ambientes lotados, fechados e com pouca ventilação. Usualmente, pacientes com tuberculose ativa adotam medidas adicionais que podem incluir o uso de dispositivos de proteção respiratória pessoal para diminuir o risco de infectar outras pessoas.

 

TRATAMENTO

 

A tuberculose tem cura e o tratamento, que dura no mínimo seis meses, é gratuito e disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O tratamento da tuberculose à base de antibióticos é 100% eficaz, no entanto, não pode haver abandono. Os pacientes deixam de transmitir tuberculose após aproximadamente 15 dias de tratamento. Porém, podem voltar a ser bacilíferos (transmissores do bacilo) se não completarem o curso de 6 meses de antibióticos.

Para evitar o abandono do tratamento da tuberculose é importante que o paciente seja acompanhado por equipes com médicos, enfermeiros, assistentes sociais e visitadores devidamente preparados.

A tuberculose não tratada pode levar à sepse grave e morte.

 

 

Saiba mais sobre a tuberculose, clicando aqui.

 

Para informações sobre exames, entre em contato.

 

1 2 3 4 5 18
© 2018 - Laboratório Merisio