blog

A trombofilia é uma condição em que o sangue tem uma maior tendência a formar coágulos dentro dos vasos sanguíneos, obstruindo as veias e/ou artérias, aumentando o risco de complicações como trombose venosa, AVC ou embolia pulmonar.

Pode ser classificada em hereditária, quando é associada a fatores genéticos ou adquirida, quando desencadeada por fatores que aumentam a coagulação do sangue como, por exemplo, uso prolongado de anticoncepcionais orais, diabetes, doenças cardíacas, gravidez, doenças auto-imunes, obesidade, dentre outros.

 

Principais Sintomas

 

As manifestações clínicas são diversas e variam de acordo com o local do vaso acometido. Os sinais e sintomas variam desde manchas esparsas na pele que aumentam no frio, tromboflebite (oclusão de vasos sanguíneos superficiais), insuficiência cardíaca, microtrombose disseminada (trombos de vasos de pequeno calibre por todo o organismo) até outras formas mais graves de doença.

  • Trombose venosa profunda: inchaço de alguma parte do copo, principalmente as pernas, que ficam inflamadas, vermelhas e quentes.
  • Embolia pulmonar: intensa falta de ar e dificuldade para respirar;
  • AVC: perda súbita de movimentos, da fala ou da visão, por exemplo;
  • Trombose na placenta ou cordão umbilical: nesses casos, a trombose ocorre na placenta. Muitas vezes essa condição é assintomática, mas um dos sinais de alerta é o inchaço repentino. Gestantes que têm pré-eclâmpsia antes de 34 semanas de gravidez também devem ficar atentas. Outro sinal de alerta é quando a barriga da mãe cresce pouco, já que o bebê não se desenvolve como esperado.  Abortos de repetição, parto prematuro e complicações na gravidez, como eclâmpsia, podem ser característicos da trombofilia.

 

Diagnóstico

 

Na suspeita clínica de uma trombofilia, o médico pode solicitar alguns exames de sangue específicos para confirmar sua suspeita e indicar o melhor tratamento.

 

Tratamento

 

O tratamento para a trombofilia é feito com cuidados para se evitar quadros de trombose, como evitar ficar muito tempo parado em viagens, tomar medicamentos anticoagulantes durante uma internação ou após cirurgia, e principalmente, controlando doenças que aumentam o risco de coágulos, como pressão alta, diabetes e obesidade, por exemplo. Apenas em casos de doença grave, é indicado o uso contínuo de medicamentos anticoagulantes.

Entretanto, quando a pessoa já tem sintomas de trombofilia, trombose venosa profunda ou embolia pulmonar, é recomendado o uso de medicamentos anticoagulantes orais por alguns meses. Para grávidas, o tratamento é feito com anticoagulante injetável, de baixo peso molecular, durante toda a gestação e 40 dias após o parto, período extremamente perigoso para a mulher em função dos níveis hormonais.

 

Para ler mais sobre a trombofilia,  clique aqui.
Para informações sobre exames  entre em contato.

 

O Teste do Pezinho ou Teste de Triagem Neonatal é um exame laboratorial obrigatório, que tem função de diagnosticar precocemente o risco para algumas doenças infecciosas, metabólicas e genéticas no recém-nascido.

 

Coleta

 

É colhido, preferencialmente, entre o terceiro e o quinto dia de vida.

 

Por que fazer o teste?

 

O teste é obrigatório e deve ser realizado para prevenir complicações de doenças que, no nascimento da criança, são assintomáticas.

Se essas doenças não forem diagnosticadas e tratadas com antecedência, a criança estará suscetível a inúmeros problemas, que podem ser graves e irreversíveis.

 

Tipos

 

Existem 4 tipos de Teste do Pezinho: básico, ampliado, plus e master.

Básico: sua  coleta é garantida por lei e é realizado em todos os serviços onde há maternidade. Pode detectar as seguintes doenças: Fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme e outras hemoglobinopatias.

Ampliado: Pode detectar as seguintes doenças: Fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme e outras hemoglobinopatias, hiperplasia adrenal congênita e fibrose cística.

Plus: Pode detectar as seguintes doenças: Fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme e outras hemoglobinopatias, hiperplasia adrenal congênita, fibrose cística, galactosemia, deficiência de biotinidase e toxoplasmose congênita.

Master: Pode detectar as seguintes doenças: Fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme e outras hemoglobinopatias, hiperplasia adrenal congênita, fibrose cística, galactosemia, deficiência de biotinidase, toxoplasmose congênita, deficiência de glicose-6-fosfato desidrogenase, sífilis congênita, citomegalovirose congênita, doença de Chagas congênita e rubéola congênita.

 

Para ler mais sobre o teste do pezinho,  clique aqui.
Para informações sobre exames  entre em contato.

 

 

1 2 3 20
© 2018 - Laboratório Merisio